Skip to content

Nora safada deixou o sogro gozar na buceta

Conto de Traição e Incesto: Transei com minha nora safada e acabei gozando na buceta dela

Meu nome é Israel e hoje vou contar como eu comi minha nora safada da melhor forma possível e fiz ela gozar muito. Tenho 45 anos, sou vaidoso, cabelo meio grisalho, costumo malhar e tomar uma cervejinha nos fins de semana.

O que vou contar para vocês do contos de sexo aconteceu a mais ou menos 2 anos atrás. Meu filho e minha nora iam se casar e compraram uma casa em uma imobiliária.

Eles iam morar de aluguel, até que toda burocracia da compra da casa tivesse se resolvido. Como sou viúvo e moro em uma casa grande, ofereci para eles morarem aqui em casa até que tudo tivesse resolvido.

Eles aceitaram morar comigo, seria por pouco tempo, algo de 6 meses mais ou menos.

Minha nora que se chama Camila, tem 24 anos, morena linda de olhos claros, corpo sarado. Ela tem uma barriguinha chapada, piercing no umbigo, bunda de tamanho médio e peitos de tamanho bem agradável.

Meu filho e ela se casaram, e 15 dias depois vieram morar na minha casa. Camila estava sem trabalhar por isso passava maior parte do tempo em casa comigo enquanto meu filho saia para trabalhar.

Meu filho trabalhava em uma cidade próxima a que a gente mora, cerca de 40 minutos de viagem, mas devida a distância ele acabava almoçando por lá mesmo e só chegava a noite.

Eu sempre ia academia pela tarde ou a noite mas como trabalho de UBER faço o meu próprio horário. Mas sempre tento ficar em casa e descansar.

Após um mês e meio de nós três morando juntos, as coisas começaram a virar rotinas, normais em família. Algumas coisas deixaram de ser vergonhoso e se tornaram hábitos.

Camila acordava sempre cedo e ajudava nas coisas de casa, andava pela casa de roupa de dormir curta, passava pela casa de toalha após o banho, tudo normal.

Eu sempre pensava o quanto meu filho era sortudo, se casar com uma mulher tão linda, gostosa e gentil.

Mas os sentimentos entre minha nora e eu acabaram mudando aos poucos.

Veja também:
Nora safada
Tirando a virgindade da cunhada

Desejo sexual pela nora gostosa e safada

Alguns meses depois do meu filho e minha nora morando na minha casa, comecei a ficar muito atraído por ela. Afinal, era quase impossível não sentir tesão por uma mulher tão linda, gostosa e atraente.

Mas eu fazia de tudo para me controlar, afinal, acima de tudo era minha nora, esposa do meu filho.

Mas alguns problemas começaram a surgir, a empresa que cuidava do apartamento do meu filho começou a enrolar e estendeu o prazo de entrega.

Isso deixou todos nós revoltados, mas algumas coisas boas vieram com isso, pelo menos para mim.

A rotina entre meu filho e Camila começou a surgir, ele trabalhava o tempo inteiro e mal parava em casa. Certo dia na cozinha, ela veio desabafar comigo.

Camila me contou que havia 3 meses que não tinha relações com meu filho, sem contatos e sem carinho. Ele chegava em casa, tomava banho e dormia.

Como bom pai, tentei explicar que rotina no casamento era super normal.

Enquanto conversava com Camila, admirava ela com um shortinho curtinho de dormir mostrando a poupa da bunda, e aquele volume da buceta dela enorme na frente.

A blusa que ela usava sem sutiã, dava pra ver os bicos do peito dela marcando e o piercing do umbigo dela fazia meus olhos admirarem sua barriga perfeita.

Depois da conversa, Camila me deu um abraço bem apertado, eu sentia os peitos dela sem sutiã contra o meu tórax. Meu pau esfregava duro na buceta dela, e tenho certeza que ela percebeu.

Não conseguia parar de pensar na minha nora, me imaginava comendo ela todos os dias mas tentei me controlar.

Comi minha nora e ainda gozei na buceta da safada

Depois da contra entre Camila e eu, parece que ela começou se sentir melhor, e mais a vontade dentro de casa.

Ver Camila andando de shortinho e sutiã pela casa começou a se tornar cada vez mais normal. Irresistível também, como já estava solteiro algum tempo, ter uma coisa gostosa daquelas dentro de casa era muito tentador.

Um dia, Camila estava no banho enquanto eu assistia TV, de repente ouvi um tipo de estouro e as luzes se apagaram.

A energia tinha acabado, meu filho iria levar uns 40 minutos pra chegar em casa, e me preocupei com Camila gritando no banheiro.

Era apenas chuveiro que tinha dado um curto circuito, corri até o banheiro e ela veio desesperada pelada em minha direção e me abraçou. Foi automático, abracei ela nua e molhada e comecei a conversar com ela.

– “Ta tudo bem, calma foi só um susto.”

– “Ai sogrinho, tomei um susto muito grande, achei que iria morrer.”

– “Relaxa, ta tudo bem…”

Peguei a  toalha e enrolei ela enquanto levei ela em meus braços até o quarto onde meu filho e ela dormiam.

Da porta do quarto, deixei ela entrar e eu ia voltando para sala quando ela falou:

– “Eita sogrinho, agora que vi que te abracei pelada hahaha, foi o susto.”

Apenas respondi:

– “Ta, tudo bem.”

A casa ainda tava meio escura e ela me chamou da porta do quarto, me pediu pra ver se ela não estava suja de sabão ainda.

Camila ficou de costas pra mim e tirou a toalha, mesmo meio escuro consegui ver aquela bunda perfeita dela, ela se virou de frente, e falou:

– “E aqui, ta sujinho?”

Camila falou aquilo com uma carinha de safada, e não resisti, acabei indo pra cima dela, e dando um beijo bem gostoso nela. Beijei ela tão gostoso, com tanto tesão, meu pau ficou duro na hora, sentia aquele corpo molhado e fresco abraçado ao meu.

Joguei Camila na cama de costas, coloquei ela de quatro e comecei a chupar a buceta dela. Ela mesmo começou a abrir a bunda pra mim mostrando o cu na minha cara, senti que ela queria que eu chupasse ali também, então comecei a chupar o  cuzinho dela.

Enquanto eu chupava ela, ouvia ela gemendo e a buceta dela escorrendo de tesão, tirei o pau pra fora e comecei a comer ela de quatro. Ela gemia e pedia pra eu comer ela mais e meter mais fundo:

– “Vai sogrinho, mete gostoso na sua norinha safada, vai…”

Enquanto isso eu dava uns tapas na bunda dela e continuava metendo. Tentei convidar ela pra mudar de posição mas ela só queria de quatro, então continuei metendo. Tirei o pau pra fora e tentei meter no cuzinho dela, mas ela não deixou:

– “Ai não sogrinho, ai vou guardar pro seu filho.”

Sorri e continuei comendo ela. Depois de alguns minutos veio a vontade de gozar, falei com ela que ia gozar dentro da buceta dela:

– “Vou gozar na sua bucetinha nora safada.”

– “Na minha bucetinha não sogrinho.”

Tarde de mais, gozei e enchi a buceta dela de porra quente. Depois disso tomamos um banho juntos e começamos a agir como se nada tivesse acontecido.

Nunca mais comi minha nora, mas se eu tiver outra chance não vou pensar duas vezes mais.

Envie seu conto erótico aqui para o site!