Skip to content

Corno amador nem desconfiou que trai ele

Trai o meu marido, um corno amador manso e adorei a sensação de traição.

Olá, meu nome é Rosa, tenho 35 anos e sou casada a 9 anos, e quero contar para vocês como fiz do meu marido, um corno amador, um bom motivo pra ficar mais feliz sexualmente.

Sou branca de cabelos pretos, malho e tem uma bunda muito gostosa para minha idade, percebo que por onde passo eu atraio olhares, uma sensação que a maioria das mulheres adoram. Meu marido, Marcio é um cara legal, me trata bem e não me deixa faltar nada, mas a alguns anos ele vive para o trabalho e esquece as vezes que é casado.

A gente mora em um condomínio em um bairro nobre aqui de São Paulo, e alguns dos nossos vizinhos são bem legais e humildes, a maioria são metidos e arrogantes por isso conversamos pouco com o pessoal daqui.

Mas um vizinho em especial sempre me chamou a atenção, o Daniel, ele tem 28 anos era casado mas se separou depois de 4 anos de casado. Mora sozinho na casa ao lado da minha, e sempre muito gentil comigo e as vezes vem aqui em casa e bebe umas cervejas com meu marido.

Um Sábado acordei cheia de tesão, mulheres tem bem disso. Eu tive um sonho erótico que me fez acordar toda molhadinha, cheia de tesão e afim de transar. Passei a mão dentro da minha calcinha e vi que eu estava encharcada. Chamei o Marcio pra gente transar mas ele não podia, tinha que ir pro trabalho, aff.

Eu nunca tive vibrador, e nunca gostei de masturbação, sempre preferi o contato humano. Pensei em dar para o porteiro do condomínio só para matar meu desejo, mas o infeliz tinha faltado ao serviço e quem estava no lugar dele era uma mulher.

Veja também:
Trai meu marido com garoto novinho
Transei com o melhor amigo do meu namorado na frente dele

Decidi trair meu marido, um corno amador e infeliz

Decidi então trair o meu marido de vez, eu já estava saturada de querer transar e ele está sempre trabalhando. Me lembrei do Daniel, ele estava solteiro, e morando sozinho a algum tempo… Por que não?

Daniel é um cara branco, malhado e tem uma tatuagem no braço direito, corpo bem definido e eu sempre me senti atraída por ele. Mas havia um pequeno problema pra mim, como chegar nele? Como falar pro meu vizinho me comer por que eu estava com tesão?

Resolvi meter o louco, coloquei uma lingerie preta sexy, um vestido curto e fui até a casa dele. Toquei a campainha e ele veio me atender, perguntei se eu podia entrar e conversar com ele e ele disse que sim.

Mandei a real: “Vizinho, eu to afim de um sexo casual, transar com você me realizaria muito o que acha?”

Ele perguntou pra mim: “E seu marido?”

Esquece aquele corno, respondi.

Na hora ele me agarrou e começou a me beijar, me levou pro quarto dele e tirou meu vestido de um jeito que eu nem esperava. Me perguntou de novo se eu tinha certeza e eu nem respondi, abaixei o shorte dele e comecei a chupar o pau dele inteirinho.

Me lambuzei no pau dele como se fosse um picolé, algo muito gostoso, a tempos não chupava um pau cheio de veias e grosso daquele jeito. Mesmo não sendo muito grande, era o que eu tinha naquele momento.

Fiquei de quatro pro Daniel e chamei ele pra me comer fazendo carinha e voz de safada. Dois dias antes eu tinha me depilado de cera quente, minha boceta estava bem raspadinha e bem rosinha, ele pincelou o pau dele na minha xaninha molhada e começou a enfiar.

Eu não tava nem ai que ele não tinha colocado camisinha, enquanto ele metia eu mordia o travesseiro de tanto tesão, o pau dele me arrombava inteirinha e eu perdi a decência e a compostura naquele momento. Comecei a gemer alto e pedia ele pra me comer com tesão e selvagem:

– “Agora eu sou sua puta, come sua puta vai, mete gostoso na sua cachorra.”

Eu tava tão apertadinha e tão vadia que em 5 minutos de sexo Senti o Daniel gozando dentro de mim. E eu sorrindo por dentro pensando no meu marido, aquela sensação de sexo vingativo me satisfazia por dentro.

Tomei banho com ele, chupei o pau dele e fiz ele gozar na minha boca de novo. Vesti minha roupa peguei o número do Whatsapp dele e combinei, sempre que eu quisesse ele teria que me comer, sai de la correndo por que tinha que ir pro escritório.

Agora sempre que posso, pulo a cerca com vontade.

 

Envie seu conto erótico aqui para o site!